Quando você pensa em uma calorosa e saborosa xícara de café, qual é a primeira coisa que vem em mente? Cafeína, Imagina se deliciar com uma bebida energética natural, ou pensa ser uma droga viciante e comparável como uma anfetamina, cocaína ou heroína? A cafeína usa os mesmos mecanismos bioquímicos que essas drogas, a fim de estimular seu cérebro e sistema nervoso e combater a fadiga. Ao contrário dessas outras drogas, a cafeína é barata e fácil de encontrar.

Embora muitos países tenham suas próprias histórias e fontes de cafeína, essa substância psicoativa faz parte da história global há milhares de anos.

Os antropólogos rastrearam a cafeína até a Idade da Pedra. Essas pessoas pré-históricas descobriram que, se eles mastigassem as sementes, a casca ou as folhas de certas plantas, seu humor aumentaria, a energia e o foco aumentariam, e a fome desapareceria é um dos anabolizantes naturais que existem.

Em cerimônias religiosas a cafeína era utilizada como pesticida natural para repelir e matar muitas espécies de insetos, a fim de permitir que os adoradores permaneçam no local e rezem todas as noites. A cafeína é uma substância que realmente foi a prova do tempo.

Na verdade, a cafeína é tão boa em dar ao corpo humano um “impulso”, que a maior parte da população mundial consome diariamente como estimulante psicoativo. Para muitas pessoas a cafeína é cafeína… mas, na realidade, existem dois tipos diferentes:

  1. A cafeína sintética, feita pelo homem e encontrada em muitos suplementos esportivos, alimentos, bebidas e medicamentos;
  2. A cafeína natural, que é colhida de mais de 60 plantas diferentes, como café, erva-mate e guaraná.

 

A Droga Mais Popular - atleta

A cafeína é a droga escolhida pela maioria dos atletas

Embora não pareça tão criminosa quanto os suspeitos hormônio do crescimento, a testosterona e a dopagem no sangue, a cafeína tornou-se uma das drogas mais populares para melhorar o desempenho do século XXI.

Em resposta a um aumento no uso de cafeína pelos atletas, muitos órgãos governamentais do esporte começaram a prestar mais atenção a ela. Embora, em 2004, a Agência Mundial Antidoping (WADA) tenha rebaixado a cafeína de sua lista “proibida” para “monitoramento”, continua sendo classificada como uma substância proibida em muitas organizações esportivas em todo o mundo.

 

A cafeína pode realmente melhorar o desempenho atlético?

Após muito debate, os cientistas do esporte finalmente comprovaram o que a maioria de nós já sabíamos: sim, a cafeína melhora o desempenho. Ela faz isso estimulando o sistema nervoso central (o cérebro e a medula espinhal) a criar muitos dos mesmos efeitos que as anfetaminas fazem, como aumentar as taxas de frequência cardíaca e respiratória, diminuir a percepção da fadiga e melhorar o senso de desempenho dos atletas.

Em um estudo de Costill, Ivy e colegas, a cafeína foi encontrada para diminuir a percepção de esforço de um atleta em qualquer taxa de trabalho. Essencialmente, o consumo de cafeína fez com que os atletas neste estudo atuassem em intensidades mais altas sem perceber que estavam fazendo mais esforços para fazê-lo.

 

Quando e qual horário para consumir cafeína?

Agora que comprovamos (o que já sabíamos…) que a cafeína é uma droga efetiva que melhora o desempenho, precisamos entender sobre quando é melhor começar o consumo.

Embora as pesquisas ainda estejam tentando identificar o momento exato para ingerir cafeína, para o desempenho atlético geral, estudos concluíram que uma hora antes do treinamento de resistência cardiovascular e até 20 minutos antes de realizar exercícios de alta intensidade, fornecerão os melhores resultados.

 

A Droga Mais Popular - Fadiga

Quanto você deve consumir de cafeína?

Recomenda-se que, para um desempenho atlético aprimorado, requer apenas 2 a 3 miligramas de cafeína por quilograma de peso corporal por dia. Isso significa que um atleta de 90kg só precisaria consumir cerca de 180 a 275 miligramas de cafeína por dia para melhorar o seu desempenho.

Muitos suplementos pré-treino atualmente no mercado contêm muito mais do que isso por colher/dose, então não precisa ficar o dia todo na calculadora. Porém tome os devidos cuidados e consulte um profissional de saúde, pois níveis mais elevados a cafeína tem potencial para prejudicar as habilidades motoras finas e a técnica atlética, além de causar nervosismo, inquietação, insônia e dores de cabeça.

E se você beber cafeína para ficar acordado, tenha cuidado porque as vezes o efeito reverso pode ocorrer. A cafeína também é muito viciante. Após a interrupção do uso, as dores de cabeça, a fadiga e a irritabilidade podem estimular o desejo de “mais um golpe” de café.

Devido ao seu uso popular e disponibilidade fácil, as propriedades mais prejudiciais da cafeína são muitas vezes subestimadas ou esquecidas. Embora as overdoses letais da cafeína sejam raras, elas acontecem. Os sintomas da toxicidade da cafeína incluem tremores, dor torácica, vômitos, convulsões, ataques cardíacos, coma e até a morte.

Mas não é algo que você precisa temer, apenas ser prudente no consumo de qualquer coisa! Lembre-se que tudo em excesso prejudica. Então fique despreocupado, consulte um profissional e acorde com um irresistível cheiro de café: a cafeína é uma poderosa droga que melhora o desempenho. É hora de começar a tratá-la como tal.


 – Effects of caffeine ingestion on metabolism and performance during graded exercise – Volume 50, Issue 3, pp 301–307 – European Journal of Applied Physiology and Occupational Physiology.
– Canadian Journal of Applied Physiology – Caffeine, Coffee and Ephedrine: Impact on Exercise Performance and Metabolism.
– The Academy of Nutrition and Dietetics.